sábado, 18 de junho de 2011

A Manifestação do Sobrenatural de Deus

Em tempos de minha presunção em querer definir a Deus e sua plenitude, pensava eu alcançar alguma proximidade com o Divino supondo conhecê-lo dentro de minhas grandes limitações de referenciais e minhas extrapolações pessoais à universais.

Difícil associar a imagem de Deus ao amor, já que os olhos de nossa natureza enxergam somente por trás da íris, mesmo sem se dar conta que cada um carrega consigo um espelho na face. Difícil entender o que é o amor e como ele transpira em quem o carrega.

Quem sabe, Deus não nos permitiu a dádiva da geração de um filho em um ventre, para que em dores de parto e do suor do rosto, nos dê um pequeno exemplo de sua relação conosco e nos ensine a segurar suas mãos em sua difícil e longa adaptação à existência que carrega um pouco de nós mesmos.

É chegado o reino de Deus aos corações em que os frutos se manifestam.

E não por mãos de homens e seus talentos, não por diplomas e carteiras, não por criar um reino em Seu nome em meio às estruturas e não por quem produz quantidades de associados, Mas pelo espírito de Deus.

Amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio, Pois até hoje não vi milagre maior do que negar a si mesmo.

Bem vindo ao Reino!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Um Pouco de Graça - nova música Bossa e Paz

Cada dia é um novo dia em quem sorrir para a Vida,
Em quem a cruz se fez vida ao caminhar na fé de que em Cristo tudo se fez por nós,
Para crermos que com nossas mãos sangrentas não se alcança a liberdade,
Nem rituais e tradições do que um dia foi um chão, o rumo que dava a direção ao Caminho.

De que adianta o Céu sangrar na cruz se ainda não vivemos em nome da fé,
Em quem nos dá a paz e que nos livra de quem semeia todo o medo
e culpas esculpidas em aparências de justiça e o coração distante do amor de Deus,
que nos estende a mão, e sim, liberta e nos faz levantar do chão.

O véu que se rasgou e ecoou em nossa história,
em cada pagina de vida a consciência de buscar a Deus por simples gratidão,
O amadurecer amanheceu nos corações o entendimento de que o amor é o que nos une a Deus.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Bossa e Paz 2 – A Missão

Antes de qualquer coisa, gostaria de pedir desculpas (mais uma vez) pela minha falta de zelo com o blog. Não é falta de tempo, é falta de vergonha na cara mesmo.

Mas venho com boas notícias. É que o meu CD “Bossa e Paz” que foi gravado junto com o meu irmão Marco Esch, será regravado e agora com patrocínio, tratamento profissional e com prensagem de 5000 cópias, além de continuar sendo disponibilizado na internet para download gratuito.

A primeira versão foi feito com pouco recurso e próprio, com a disponibilidade e desenvoltura do Marco, problemas e dificuldades com o estúdio e com a participação quase voluntária de dois grandes músicos a quem sou muito grato: Ferreirinha (Trompete) e Thiago Zaidan (Violão), ambos de Resende – RJ.

Estive correndo nestas ultimas semanas para terminar duas letras em duas músicas que serão acrescentadas no repertório. Eu tenho hábito de primeiro fazer a musica e depois a letra. Cheguei a conclusão que esta é a pior forma de fazer música, pois para encaixar a letra depois, é necessário muitas marretadas fonéticas além de soar as vezes dissimulado, parecendo um frankstein literário.

Semana passada eu acabei de gravar o “violão de referência” das 12 músicas. A partir daí começa a produção do instrumental e posteriormente, a gravação do violão definitivo. Entre elas, duas musicas na afinação DADGAD: Lua e Pináculo da Alma.

Um caso engraçado aconteceu na ultima sessão de gravação, pois neste dia eu tinha trabalhado 12 horas à noite e fui direto para o estúdio. Na ultima música eu cochilei durante a gravação, mas continuei gravando. Acordei no susto e quando dei por mim, estava valendo!

sexta-feira, 25 de março de 2011

A evolução das pedras

Quisera eu não poder sonhar nem viver de memórias, que apesar de traçar todo nosso caminho e direção, nos fragilizam e nos criam raízes e retrocesso... As pedras não carregam memórias.

Gostaria que fossemos uma pedra para que não precisássemos respirar o ar que nós mesmos poluímos, sentir as dores por nós mesmos imputadas ou ainda sonhar e viver de fantasias... As pedras não sentem.

Enquanto cansam de viver, as pedras se desgastam com o curso de um rio.
Enquanto cansam de sonhar, as pedras rolam rio abaixo.
Enquanto desistem de serem humanos, as pedras servem de banco e calço.
Enquanto desistem das pessoas, as pedras servem de cidades para algas e plantas.

Gostaria que fossemos uma pedra, para que não viéssemos a querer abrir mão de nossa humanidade por invejarmos a sua bruta solidez mecânica e inerte.

quarta-feira, 16 de março de 2011

(meia) Sola nas Scripturas

Nestes tempos de tsunamis e problemas diversos no Japão, é comum ver pessoas religiosas associarem tais acontecimentos à falta de fé cristã nos países asiáticos.

Em que nós podemos nos dizer melhores que eles? Porque cremos no evangelho? Em que evangelho nós temos crido? Só se for o de Judas!

A única coisa que eu sei é que não somos juízes de ninguém e nem somos melhores que ninguém.

E que também estamos sujeitos a tudo nesta vida e de fato tudo acontece com a permissão de Deus, mas isso não significa ser castigo divino.

Mas o que me espanta é o sentimento que os evangélicos demonstram em relação ao seu semelhante, mesmo quando usam o argumento de que Deus é soberano, pois ele é o criador.

De fato tudo está sujeito à Sua vontade, mas quando alguém que se diz ser do corpo de Cristo e com isso se coloca na posição de juiz da vida alheia (e no fundo ainda se orgulham de serem os escolhidos) na verdade, eles demonstram o quanto eles mesmos estão afastados de Deus.

O que manda os tais bandeiristas pro inferno é a alegria interna de ver os outros se ferrarem como se eles mesmos estivesses acima do bem e do mal, a fim de justificar de forma divina seus ódios e repressões internas.

Crer em predestinação não é sinônimo de ser predestinado... Cada vez mais aquela passagem da bíblia (Mateus 25) nos faz cada vez mais sentido!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Anjos de Deus

O que dizer acerca de todas as tragédias ocorridas nestes últimos tempos?

Será que enquanto deus matava muitas vidas, o acaso as salvava?

Enquanto muitos ajudavam como podiam, alguns comerciantes aumentavam o valor de suas mercadorias a fim de lucrar com a dor e o desespero alheio. Afinal, o que vale para tais desalmados é a lei do comércio...

Agradecemos e oramos a Deus pela vida dos Voluntários, Bombeiros, Defesa Civil entre outros que disponibilizam suas vidas em favor do próximo. Este é um sacerdócio, pois ainda que ninguém tenha obrigação por ninguém segundo as cartilhas das mentes cartesianamente racionais, a mão de Deus se estende a nós através destes, pois compreenderam que amar vale à pena. E quem ama ouviu a voz de Deus.

Só mesmo quem ouviu a voz de Deus para deixar o fluxo natural de seus instintos de lado e caminhar junto ao necessitado.

Com certeza, tenho muito a aprender com vocês.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Palpites sobre a origem de uma sociedade

No principio, Deus criou dez homens e dez mulheres.

Dentre os dez homens, havia um muito bonito. E dentre as dez mulheres, nove se apaixonaram perdidamente por ele.

A décima mulher como era muito feia, viu que não tinha condições de atrair o homem bonito. Então preferiu dizer que não via nada demais nele e que ele não a atraía.

O homem bonito elegeu uma como oficial. As outras oito mulheres disputavam por ele vorazmente, presenteando-o com o que elas tinham de mais sedutor, na esperança de que um dia, ele lhes concedessem alguma oportunidade.

Os outros nove homens ficaram sozinhos. Então eles partiram pra cima da mulher feia. Então a mulher feia passou a mandar na tribo, despertando a inveja das nove mulheres.

Os nove homens precisavam chamar a atenção de alguma forma para tornar-se competitivo entre eles. Um deles resolveu tratar as crises de amor não correspondido das nove mulheres com pedras, luzes e rituais. Assim foi criada a crença.

Outro resolveu tratar as crises femininas culpando os seus pais. Assim foi criada a psicanálise.

E outro também resolveu seguir a mesma estratégia, escrevendo sobre como conseguir o homem mais bonito da tribo. Assim foram criados os livros de auto-ajuda.

Os dois últimos dos homens, que eram muito feios, resolveram seguir seus rumos sozinhos. O mais rancoroso começou a questionar as belezas da vida. Foi criada a filosofia. E o mais curioso deles, que se maravilhava com tudo o que via nesta Terra, criou as pesquisas científicas.

O tempo passa, as rugas aparecem e as oito mulheres cansam de esperar a decisão do homem bonito e resolvem casar-se com os outros sete homens, deixando os dois mais feios da tribo sozinhos, que um era o filosofo ranzinza e o outro era o cientista lunático.

Os casais discutiam muito, pois os homens se sentiam como uma segunda opção e as mulheres criam que nenhum homem prestava por causa das dores sentidas na paixão não correspondida pelo homem mais bonito. Assim, foi aumentando o prestigio do psicanalista, do pajé e do escritor.

Infeliz, o filosofo ranzinza passou a questionar tudo que existe e o que não existe e chegou à conclusão de que existir e não existir é a mesma coisa, logo viver e morrer são faces de uma mesma moeda. Então o filosofo ranzinza suicidou-se.

O cientista lunático, sempre sorridente, levantava más impressões das pessoas devido o seu jeito um pouco estranho e seus assuntos inteligíveis. Logo, cada vez mais ele passou a ser desprezado por todos e foi internado em um hospício.

O escritor resolveu publicar um livro com as descobertas do filósofo ranzinza e do cientista lunático para lembranças póstumas. Após o lançamento do livro, o escritor foi considerado o maior intelectual e cabeça pensante da sociedade dos últimos tempos.

E assim, todos montaram como pôde suas famílias e tiveram seus filhos na esperança de alcançar uma sociedade melhor, sempre buscando uma seleção natural da espécie para poderem evoluir sempre para melhor e alcançar a perfeição a partir de seus dez filhos e suas dez filhas...

domingo, 12 de dezembro de 2010

Sobre a pessoalidade de Deus

Estranho é pensar em Deus sendo uma força inanimada, enquanto eu mesmo que sou fruto da criação, respiro matéria e transpiro alma.

Assim como os arranjos genéticos evoluem para algo não existente, porém pré-existente pela sua própria possibilidade de existir, existimos da forma que somos pela pré-existência de nós em Deus e de Deus em nós.

Creio que a questão raiz acerca de Deus não é a sua existência, mas sim a sua pessoalidade, pois podemos questionar Seu formato mediante as experiências sensoriais e/ou observativa de cada um, mas não podemos negar a força de onde veio toda a existência.

Sou privilegiado não simplesmente por ser ou existir, mas pela alguma noção de que sou e existo.

Não sou poeta, mas gosto de brincar com as palavras.
Não sou cientista, mas gosto de fazer observações.
Não sou musico, mas gosto de combinar sons e timbres.
Não sou Deus, mas gosto de criar e de dar vida ao fruto de minhas mãos, tanto ao que é estático quanto o que é dinâmico.

Gosto de escrever o meu nome na areia,
Gosto do frio e de me banhar ao calor,
Gosto de dar nomes a coisas e admirar seus formatos,
Gosto de ver-me em minhas crias e ver-lhes em suas.

Amo, pois um dia me deram o amor,
Choro, pois um dia me deram a dor,
Rio, pois um dia sorriram para mim,
Crio, pois um dia me criaram a Sua semelhança.

Amo, pois um dia para minha ciência, enquanto Deus nos desenhou, Ele estava namorando.

domingo, 14 de novembro de 2010

Temporalidades

Momentos.
Todo mundo tem os seus momentos.
Momentos não significam ser bons ou ruins, melhor ou pior.
São apenas momentos.
Há tempo para tudo e isso também é compreender a Graça.
Momentos são fragmentos de coisas inteiras.

Ate o ano tem as suas estações e o dia tem a sua noite, mas as noites não são necessariamente trevas e os dias não são necessariamente luz.
Noites também podem ser sonhos e dias, labor.
Eles se alimentam, se interagem e formam semanas, meses, ciclos e no fim de tudo, ano.
E assim será até o findar dos séculos.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Pudores evangélicos nas Eleições

Confesso que eu fiquei muito triste nas eleições deste ano, devido a uma quantidade enorme de boatos rodando na Internet e nas igrejas (por conseqüência ou não) a fim de manipular votos com o pudor alheio.

Isso aconteceu nos EUA, onde a maior parte da população preferiu a morte e o assalto em países do Oriente Médio à legalização do casamento homossexual.

Como sempre, o problema do crente é o pinto. Quando o assunto não é o pinto, vale tudo!

Satanistas? Comedores de criancinhas? E os pastores que manipulam suas ovelhas em prol de interesses próprios, o que são?

Nunca vi a Marina Silva como um novo Moisés, mas curiosamente ela não teve apoio de muitos em sua própria denominação. Eu não veria problema nisso, se tal igreja não tivesse a pretensão de colocar representantes de bancada evangélica no poder sob o pretexto de fortalecer o reino de Deus na Terra.

O que o país ganhou com tal bancada evangélica até hoje? Dizem militar contra o diabo e seu reino. Na verdade, eles morrem de inveja dele e estão doidos para ocupar o seu trono.

Fica uma pergunta: qual foi o tipo de reino proposto por Jesus? Tomar o poder para ser notado? Meu reino não é deste mundo...

Quem rege o país é a constituição. Eu não posso obrigar um país inteiro a ter os mesmos valores que eu creio ser bom para a alma.

Sou a favor de liberar a união oficial entre homossexuais. Cada um sabe de sua própria sexualidade e contratos devem ser respeitados, seja de qual natureza for o contrato.

Sou a favor do direito de cada instituição religiosa ou filosófica aceitar tal união como sadia ou não. Isso é direito de ponto de vista, não confundir com preconceito.

Sou a favor da descriminalização do aborto, ou no mínimo, atribuir as igrejas e órgãos de apoio, o acolhimento e o controle de adoção de crianças rejeitadas pelos pais.

Sou a favor da livre escolha individual dos médicos em realizar tais procedimentos ou não.

Sou a favor da consciência. Quem tem consciência não busca caminhos maus (ao próximo ou a si mesmo). Quando há consciência, há liberdade, mesmo em tempos em que a liberdade é a nossa prisão.

No chão da vida

É no chão da vida onde as coisas acontecem.

É no chão da vida onde livros se revelam, idéias se iluminam, sons se refletem e as cores são visíveis.

No mundo que criamos em nós mesmos, há sombras de nossos medos infundados e razões incertas. Mas é no chão da vida que nossos monstros se mostram menores do que imaginamos e a brisa da manhã acalma e nos acorda para um novo dia e a esperança de sempre haver o próximo fôlego.

Todo engenheiro deveria passar um tempo em uma comunidade hippie e todo o hippie deveria passar um tempo em uma multinacional.

Todo seminarista e teólogo deveriam fazer algumas visitas em algum terreiro de feitiçaria. Quem sabe, para estes, Deus passe a fazer algum sentido além de suas limitadas visões acerca de Deus baseados nas vírgulas do entendimento de seus autores e na frieza de seus corações?

Todo poeta deveria estudar matemática e todo matemático, poesia.

Todos os dias deveriam trocar suas noites, e as noites seus dias.

Todos nós deveríamos viver e sentir a vida.

Viva a vida!

Sinta a vida!

É tudo ou nada !

Quando o nada é o tudo, e o tudo nada em oceanos do nada, molha as sementes e as raízes do novo e floresce a primavera.

É como o universo que do nada explodiu e tudo se formou.

Se um dia o tudo foi nada, de nada lhe serviu a lição.

Não importa se vemos macacos ou barro, quando não há alma, tudo é nada.

Matéria não é. Eu sou.

O tudo é o resultado de nossos olhos e olhares. Me alimento do nada para olhar com simplicidade o tudo, e que sabe assim, eu sou?

Negar o eu ou negar a si mesmo... Eis a questão.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Canetas ao vento

Sou livre para escrever...
mas eu ainda não decidi entre ser Machadista ou Euclidiano...

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Testemunho

Muitos dizem ser um milagre de Deus por terem sobrevivido a desgraças desta Terra. Não medem esforços em se vangloriarem por um dia ter um passado tenebroso ou doente.

Na maioria dos casos, as pessoas sofrem por suas próprias escolhas. Sofrem por admirar a vaidade, a destruição e aqueles que o promove.

A minoria dos casos são de fato, casos fortuitos.

Eu nunca tive nada na vida que fosse relevante a tais olhos. Sempre tive uma vida alegre e feliz, independente das dificuldades. Alegrava-me nas coisas simples e isso não traz ibope nem movimenta palco evangélico.

Eu sou um milagre de Deus, pois só pelo milagre de Deus é que eu nunca precisei ficar doente do corpo e/ou da alma para testificar a presença de Deus em minha vida.

O verdadeiro testemunho não se apóia em cima da desgraça ou da dor, mas do entendimento da Palavra de Deus ao coração. É do entendimento da Graça em Jesus é que se tem um verdadeiro testemunho e através dele, haver edificação.

Que o nosso testemunho seja o agradecimento e a gratidão, e não da presunção e das saudades das cebolas do Egito disfarçado de humildade.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Trecho de Construção - Chico Buarque

...

Amou daquela vez como se fosse o único
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo por tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou prá descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
E agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público

Por esse pão prá comer, por esse chão prá dormir
A certidão prá nascer e a concessão prá sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir, Deus lhe pague

Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir
Pela fumaça e a desgraça, que a gente tem que tossir
Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair, Deus lhe pague

Pela mulher carpideira prá nos louvar e cuspir
E pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir
E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir, Deus lhe pague

...

Trechos da música Construção - Chico Buarque

sábado, 14 de agosto de 2010

Desigrejados

Nem todo telhado é casa e nem toda casa é familiar.

Nem tudo que está junto é um.

Mas onde estiverem 2 ou 3 em meu nome, ali Eu estarei...

Impressionante é a inveja, demonstrada através da raiva, dos que condenam aqueles que desinstalaram-se de sistemas e conseguem viver em paz. A alegria destes destila o amargor em tais críticos inconformados, acostumados à retidão segundo a repreensão e a exclusão e não segundo a liberdade em podermos fazer as melhores escolhas com um coração pacificado.

Eu nunca fui fã de nomenclaturas que determinam segmentos às pessoas, pois tornam-se gargalos extremamente limitantes e antitético ao fluxo dinâmico da vida. Poderia citar vários que circulam nos meios sociais religiosos ou não, como marxista, liberal, ortodoxo, caído, abençoado, varão, reformado, protestante, direita, esquerda, palha, calvinista, entre muitos outros.

Muitos, inclusive, aderem-se as personas dos segmentos em que se identificam como porta-bandeiras, adaptando-se para tal. Infelizmente, bandeiras carregam consigo toda a carga de doenças da alma e todo um sentimento faccioso e proselitista dispensável ao que crê na leveza do fardo de Jesus.

Melhor seria que fossemos conhecidos simplesmente como discípulos de Jesus. Sem pedigrees aparentes ou qualquer tipo de amuleto a fim de dar uma forcinha ao Divino.

Qualquer tipo de ajuntamento de pessoas necessita de um mínimo de organicidade. Mas existe uma diferença entre ter um mínimo de organicidade e viver para manter uma instituição, defender uma instituição, se manter com a instituição e até matar o corpo e a alma por causa da instituição.

Será que todo desigrejado usa a contestação para justificar seus passos largos na vida? Creio que a grande maioria simplesmente não queria ser peças de xadrez em mãos de sistemas e seus manipuladores.

Desigrejado é todo aquele que não se propõe a sujar os pés e as mãos e limpar a mente e o coração... É todo aquele que diz saber conviver, perdoar e dar a outra face, mas as motivações são as conivências dos próprios interesses... É todo aquele que descarta o próximo pelo medo de queimar o filme da instituição...

Que sejamos igreja...

...E os telhados sejam apenas uma consequência, não um fim em si mesmo.

O Socialismo de Jesus

Justo é o salário de quem o busca e nele tem seus objetivos.

O Evangelho em essência, não nos faz buscar direitos iguais. Muito pelo contrário, nos faz abrir mão de direitos. Nos faz desacelerar nesta estrada da vida a fim de perder tempo com quem nada tem a nos oferecer.

Dividir as túnicas e repartir o pão não é sinônimo de igualdade social. É sinônimo de amor ao próximo. E o amor vem do brotar individual nos corações, não de partidos políticos, correntes filosóficas ou modelos econômicos.

A única coisa nesta vida que temos igualmente entre todos, é o tempo. Temos 24 horas por dia. Dentro deste , buscamos aquilo que nos convém.

Que façamos as melhores escolhas.

De resto, é correr atrás do vento.

sábado, 12 de junho de 2010

Liberdade

Eu acho que se as pessoas fizessem de fato aquilo que está no coração, viveriam melhor, tanto para o bem quanto para o mal... Sem desculpas circunstanciais, vitimizações ou culpas.

Se plantamos coisas boas, colhemos.

Se plantamos coisas danosas à alma, colhemos.

O que está plantado em seu coração?

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Olhares

A Terra é redonda.
Mas para meus limitados olhares, ela é quadrada... Sempre limitada ao alcance de meus olhos ao horizonte.
Pior quando a Terra é quadrada e pensamos ser redonda...

Quanto mais nos distanciamos da Terra, mais notamos que a Terra é redonda... Perfeita criação de Deus.
Mas quando estamos com os pés sobre ela, ela é quadrada... Sempre limitada ao alcance de meus olhos ao horizonte.

Águias voam alto.
Águias têm visão de longo alcance.
Mas elas voam altas e visionárias a fim de procurar a quem devorar... Sempre olhando para baixo.
Para elas, a Terra é quadrada, mesmo voando em horizontes elípticos.

Em cavernas, a Terra é estreita, sem cores e possuem lanças nos céus apontadas para nossas cabeças... E nem sempre existe luz no fim do túnel, apesar de existir luz lá fora.

Em alto mar, a Terra é quadrada e se acaba no horizonte.
Mas dentro do mar, a Terra é um cubo.
Como deve ser o reino dos céus para um peixe?

Que Deus esteja sempre em nossas mentes, mesmo quando não esteja ao alcance de nossos olhos.

A marca da Besta

O maior sonho da humanidade é o controle.

Ter o controle do futuro, das pessoas, da economia... O importante é ter o controle em todas as suas vias.

Atualmente é possível ler mentes e controlar atividades celulares, tanto na manipulação como em sua programação, segundo interesses e vontades alheias.

Engraçado que nos orgulhamos de sermos livres e ficamos admirados com todas as ultimas descobertas tecnológicas que, apesar de beneficiar-nos conseqüentemente, nos remete a um controle de ordem superior.

Gabamo-nos de conhecer a história da humanidade e pensamos que tais descobertas se destinam a fins pacíficos.

É a criação de robôs humanos, totalmente programados, uniformizados e isentos de defeitos... Defeitos tais que nos permitem ser o que somos nesta grande esfera terrestre e seus biomas eco/sociais.

Religiosos pós modernos ficam maravilhados com tais avanços da tecnologia, como se neste grande trono de satanás, eles fossem o plenário, rindo do povo em seus camarotes. Mas se esquecem que o inferno é socialista: todos sofrem e todos padecem.

Nesta terra futura, mas nem tanto, um grande governo único será o grande dono de nossas vontades.

Até hoje o povo foi manipulado a força ou por formas subjetivas e sugestivas. Mas quando controlam nossas mentes, corpos e células através de controle remoto, não tem como fugir, não tem para onde correr.

Nem o direito de morrer nos será dado, pois isso vai independer de nossa vontade.

A propósito, como será a psiquê das pessoas mediante a eternidade do corpo? Como será tal sociedade?

Seria viável ser eterno neste mundo caído?

Descanso!

Gostaria de pedir desculpas aos meus 5 leitores (eu me incluo nesta lista) pela minha ausência.

Confesso que não é falta de inspiração, pois o que mais se vê pelas estradas da vida é algo a ser comentado.

É preguiça mesmo!

Estive muito enrolado neste ultimo mês e me faltou atenção para o blog.

De qualquer forma, estamos aí!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Haja luz!

Eu, em minha limitada visão das coisas, jamais imaginaria que a origem de tudo poderia ser a luz.

Bendito aqueles que, em meio de barro, água, vento e pedra puderam ter tal percepção.

Haja luz e houve luz!

Uma luz no fim do túnel para os quais, ao brincar de Deus, querem dominar a criação.

Que a luz em nossas mentes sirva para criar vida, e não para ofuscar aos olhos.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Marketing pessoal

O melhor exemplo de marketing pessoal para mim é o Orkut!

Verdadeiros ratos se mostrando como verdadeiros leões, enquanto verdadeiras serpentes se apresentam como simplesmente uma minhoquinha de jardim.

Estas regrinhas pasteurizadas de estilo de vida pasteurizam o ser. Vivemos de mostrar o que não se é.

Eu nem quero entrar na questão das entrevistas de emprego, onde todos têm como defeitos, perfeccionismo e se dedicar muito ao que se propõe fazer...

É como uma receita de panetone que leva em sua composição, essência de panetone... Não se permite o tempo e temperatura necessários para que sua massa sofra a fermentação natural, quebrando todos os complexos a complexos menores e de variados sabores texturas.

É aonde entram os aditivos, essências e conservantes para validar sua qualidade.

Assim como acontece com os melhores vinhos...

Que de nossa boca saia somente virtude... E de nossas almas, verdade.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Wir Kinder vom Bahnhof Zoo

O que esperar dos que não esperam nada da vida além ver a vida passar?

O que esperar da falsa impressão de força e potencia antropocêntrica mediante o vazio da alma e a certeza da tristeza eterna?

O que esperar do fruto, filho do fetiche individualista pós-moderno que só tem valor quando o fim é adequadamente e convenientemente em si mesmo?

Uma sociedade adoecida que se olha esclarecida que nem sempre tem coragem de se encarar no espelho e dizer: tenho paz!

O que esperar dos que quebram as correntes daqueles que foram acorrentados aos pés da mesa, para que na rua, suas almas sejam acorrentadas e em seus furtos aprisionados? Talvez melhor fosse acorrentá-los aos pés de suas mães, enquanto ainda não lhes faltam. Bem aventurados aqueles que ainda as possuem.

Adequado? Miles Davis também se acorrentou aos pés da mesa um dia... Entre o adequado e a sobrevivência, cada um decide pra si o que lhe convém.

Senhor...
Livra-nos do mal...
Ou quem sabe, de nós mesmos?

Portas fechadas

Tantos templos fechados com tanta gente nas ruas, nas marquises, nos lixões e nas mazelas da vida. Templos para uma ou duas reuniões e pessoas se corroendo ao longo de todo um dia que parece não passar.

Tanto dinheiro investido em templos e adornos para alimentar a vaidade, o ócio e a obesidade da alma, com tanta gente sofrendo, sem comida e sem paz. Fome do corpo e fome da alma.

Lugar de acolhimento e repouso. Lugar de comunhão, de oração e do repartir o pão: o pão da vida e o pão da alma. Casa de oração.

Espera-se muito mais de um lugar que se arroga dizer os embaixadores das portas do céu.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Fotos de jornal

Somos fotos de jornal em potencial.

Não se surpreenda se algum dia você se encontrar em algum.

Em alguma banca, em alguma mão, alguém pode lhe visitar.

Não somos melhores que ninguém por causa da nossa vã piedade.

Não estamos acima de nada.

Leve-se em consideração.

Vigiai e orai.

A morte

A morte é uma coisa cheio de vida.

O que seria da vida se não fosse a morte?

Certamente a vida seria morta sem ela.

Viva a vida!

sábado, 20 de março de 2010

Sou fundamentalista sim, e daí?

Sou fundamentalista sim!

E daí?

Sou fundamentalista com orgulho!

Atenho-me as coisas mais fundamentais da vida!

Adoro uma boa comida, uma boa bebida, freqüentemente vou à praia e quase diariamente à cachoeira.

Adoro um bom solo de guitarra ou uma boa bossa. Um bom solo de sax eu também tento. De sax eu também entendo... Sou tenor e adoro ver soprano uivar...

Adoro viajar. Frio ou calor para mim tanto faz. Urbano ou rural? Para mim tudo é fundamental.

É fundamental ouvir e falar. Às vezes pinico, às vezes defecar. Não é bom deixar cocô fermentar, pois vira gás, espanta pessoas e estraga o ar.

Fundamental é a família. Melhor seria que cuidássemos melhor dela.

Um abraço a minha esposa e minha filha, pois são fundamentais.

Não é fundamental ser fundamental. Basta ser necessário e bem recebido.

Sou fundamentalista, e daí?

quinta-feira, 18 de março de 2010

Somos discípulos de Jesus?

Segundo os Evangelhos, Jesus morreu por toda a humanidade.

Mas quem de nós buscou ser discípulo dele? Quem de nós assumiu a liberdade em Cristo de dividir nossas túnicas, de andarmos uma milha com o inimigo, chorar com os que choram e lavar os pés de um dos seus, sem buscar recompensas ou sem medo de inferno ou carmas?

O amor é o parâmetro. Não me baseio em equívocos de interpretação para justificar a fé alheia. Jesus abraçou a todos, até aos que o consideram como irmão, fanfarrão, reencarnação ou lenda.

Mas afinal, todos nós temos nossos momentos de equívocos. Isso não dá pra negar...

... Pedro teve seu momento calvinista quando cortou a orelha daquele soldado que perseguia Jesus. É preciso defender a sã doutrina...

... João teve seu momento pentecostal quando mandou cair fogo do céu nos samaritanos...

... E o povo teve seu momento de teologia da prosperidade quando seguia Jesus a troco de pão...

... E Judas teve seu momento de líder de organizações quando trocou Jesus por 30 moedas...

Mas Jesus, volto a repetir, continua abraçando a todos, até aos que o consideram calvinista, batista, pentecostal, pedintes e líder de organizações.

A humanidade vive do sangue do Cordeiro, ainda que façamos dele, chouriço.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Meus Textículos

Agradeço a Deus todos os dias pela liberdade na alma que tenho para expor os meus sentimentos e minhas percepções, sem condenações ou máscaras.

Meus textículos carregam o amadorismo de um amador, já que é de um coração que ama... Sou apenas um brincador de palavras.

Não sou Chico nem Caio, mas é um pouquinho de mim para nós.

O que são rosas, são belas por si mesmas, ainda que carreguem consigo espinhos e fragilidade. Rosas de bouquet lindamente adornado apodrecem rápido, pois suas raízes lhe foram escondidas aos olhos alheios por estarem sujas de esterco.

É no chão da vida é que devemos fincar nossas raízes. Deus dá o crescimento.

Não esperem de mim elucidações filosóficas ou teológicas.

Apenas palavras...

palavras...

lavras...

mão.

terça-feira, 9 de março de 2010

Pequenas impessões caseiras...

Por que Torta, se elas são quadradas ou redondas?

Não sabia que Cupim dava em boi...

Por que água sanitária não tem cheiro de cocô?

Carne de panela... Deve quebrar os dentes, não?

Prefiro nem comentar sobre o bolo de liquidificador...

Não se pode dizer que há liberdade em uma casa onde tem um capacho logo na porta...

Ventilador e liquidificador devem ser um excelente analgésico...

Forno autolimpante também precisa ser limpo.

Trouxa de roupa não usa sapato branco.

Vinho seco: em pó ou em casca?

Por que pagar caro em um vinho com tons florais, frutados e amendoados se eu posso bater tudo no liquidificador e tomar?

Cuscuzeira... Sem comentários...

Quero distancia de socar alho...

Se existem biscoito de água e sal e o mar é de água e sal, logo o mar é um biscoitão.

Guarda chuva tinha que ser virado para cima.

Mesa de centro nem sempre é branca.

Só depois que vi a conta de luz é que descobri por que o marcador de consumo se chama relógio.

Loft é a maneira nobre de chamar uma kitinet.

Quando me pediram um pano com babado, eu cuspi.

Como deve ser o pé de quem usa um T de 1/2?

Meia socket é ótimo para defesa pessoal.

Macarrão com trufas é docemente indigesto.

Angiololigista cuida de anjos, hematologista cuida de hematomas e ortopedista trabalha em fábrica de calçados. Oculista, os Mamonas sabiam muito bem. Enquanto roqueiro é quem trabalha nas rocas, metaleiro é quem trabalha com metal e o rock progressivo ainda continua o mesmo.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Avelós

"Comigo Ninguem Pode" carregar a "Coroa de cristo" sem as "Saias Brancas" como um "Copo de Leite", com os lábios impuros como "Bico de Papagaio" e sem um coração de "Taioba Brava" contra "Oleandro" que diz: Ave Ló !!! Pois somos um grande e belo jardim santo, adornado e enfeitado com muitos "Avelós", que são ótimas para ajudar a esconder as verrugas da face.


... Quando a maior das palavras torpes tem como vestes um elogio, um abraço ou um "paz do senhor irmão", é hora de repensarmos se o Evangelho de Cristo está realmente em nós.

Que o Senhor nos ensine a ser semeadores e não ceifeiros.

Equilíbrio

É necessário buscar o equilíbrio, ainda que o ponto de equilíbrio se encontre em uma extremidade.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Aos Manuscritos do Mar Morto

Era uma vez um planeta distante, que de longe, através de seus potentes telescópios, seus habitantes observavam o planeta Terra com toda a contemplação e adoração. Acreditava-se que os deuses habitavam neste tão belo planeta.

Seres iluminados e superiores, diziam alguns profetas. Muitos queriam se vestir, adaptar seus trajes e conhecimentos aos dos deuses, alimentados pela espiritualidade transmitida pelos interlocutores divinos. Estes interlocutores cobravam ingressos caríssimos para que pudessem observar dos telescópios, um pouco da divindade que habitava o planeta Terra.

Tais profetas, mesmo sem a menor noção e experiência com os deuses seres-humanos, falavam de minúcias sobre seus relacionamentos com eles. Alimentavam a esperança do povo e faziam-se superiores graças a seus contatos de enésimo grau.

Tudo isso acontecia quando por um descuido qualquer, um habitante de tal planeta distante descobriu uma forma de alcançar o planeta Terra e conhecer ao vivo sobre os seus deuses.

Em uma aventura de alto risco, o tal curioso conseguiu chegar ao planeta Terra. Ele tinha que aproveitar tal oportunidade, pois seu tempo lá seria muito curto e único.

Ao descer da nave, nada se via além de destroços. Ruínas para todos os lados. Nem um ser humano sequer. Nem uma pista para que melhor houvesse uma definição de forma e conteúdo do que havia de mais divino no ser humano. Supôs-se que os deuses fugiram para outra galáxia, pois apesar de não encontrar ninguém, haviam vestígios de sua presença.

Após exaustivas buscas, foi achado um portal de uma cidade, muito grande e com uma grafia misteriosa. Também foram achados alguns papéis contendo fotos e escritas dos deuses. Foi fotografado o portal e sua fachada de grafia misteriosamente intraduzível (provavelmente o nome da cidade) e recolhido os papéis de sua proximidade.

Hora de retornar ao planeta distante. Um ar de graça e satisfação dominava o coração do desbravador que ansiosamente aguarda a chegada e vender o fruto de sua viagem, que lhe traria muito dinheiro e controle sobre o povo.

Com o material recolhido, foi começado todo o trabalho de divulgação e discussão sobre os achados. Tradutores e arqueólogos descobriram que a fonte de sabedoria dos deuses tinha o nome de 50 Centavos e Meia-hora do Povão.

Houve muito burburinho, disputas de poder, comércios literários de toda a espécie, palestras e modismos para aqueles que copiavam tudo o que viam em seus novos livros de sabedoria. O sentimento geral era faccioso. Coincidentemente os seres do planeta distante tornaram-se mais despidos, com hábitos estranhos contra os seus semelhantes e o número de população começou a diminuir.

Houve um ar de desesperança e discórdia onde um dia tudo foi iluminado e belo. As flores já não eram mais as mesmas e as almas dissolutas vagando em caminhos áridos, graças à ganância dos que um dia vendiam imagens do planeta Terra e dos que vendiam novas descobertas acerca dos deuses, baseados nos achados que se denominavam “Os Manuscritos de Belford Roxo”.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Carnaval

Estamos em véspera de carnaval.

Época em que a muvuca, o cio e os nervos de muitos que se aventuram nas estradas, nas cidades e nas festividades se afloram em troca de alguns momentos de prazer.

Melhor seria que as pessoas curtissem seus feriadões desarmadas de corpo e alma. E que máscaras fossem usadas em dias de baile, não no dia a dia.

Que estragar-se não fosse sinônimo de estragar-lhes.

Gosto da movimentação dos pequenos blocos com naipe de metais e dos bonecos de papel marchê que alguns carnavais utilizam, apesar de eu não ser em nada folião.

Para alguns, tais festividades é a celebração da ignorância e das mentes alienadas. Tais condições como ignorância e alienação são estado de espírito, podendo ocorrem em qualquer esfera da sociedade.

Por trás de discursos inflamados, há o medo de se jogar na vida e viver. Ou ainda, se fazer melhor que os outros por alcançar metas a si próprio estabelecidas.

Geralmente, nós achamos que “pão e circo” é apenas baile, pagode, futebol e big brother e não nos damos conta de que um microfone na mão para gritar e protestar mazelas da sociedade também é. A diferença é que curtição entorpece e protesto adoece. E os dois são ótimos investimentos.

Tudo é válvula de escape e nos dá o sentimento de dever cumprido e final feliz.

Sendo assim, vou curtindo o meu “pão e circo” ao escrever este blog, com a consciência tranqüila, sem inveja da alegria alheia e longe da presunção de querer mudar o mundo, antes, mudar a mim mesmo.

É preciso fazer algo, mas sem esperar nada em troca e sem esperar que vai mudar o mundo com isso.

É lógico !

De vez em quando, eu encontro por aí alguns religiosos que me questionam acerca da existência de Deus. Crêem que mataram a Deus pelo fato de ser ilógico a menor crença sobre Ele.

Questionam formatos, mas o espírito religioso é o mesmo. Depois a culpa é da Ciência.

Estes discípulos das últimas tendências do pensamento não conseguem discernir nem a si mesmos e querem deitar Deus em uma maca e dissecá-lo.

Crer em Deus é ilógico mesmo, assim como a vida.

Qual é a lógica em assumir um filho e perder seu tempo e seu dinheiro com isso? Não seria mais fácil fazer filhos para vender e ganhar um dinheirinho? Afinal, somos inteligentes...

Qual é a lógica em uma pessoa se envolver com vícios? Tal sentimento de autodestruição não seria incoerente com a sua própria preservação?

E o que dizer de outros sentimentos que regem nossa existência? Seriam meros condicionamentos mentais? Quem sabe não são as chaves da felicidade, mesmo ilógicos?

Estender a mão para o próximo? Jamais! Não é lógico ajudar quem um dia pode concorrer comigo.

Segundo a lógica, Hitler era para ser exemplo, não carrasco. Seus discursos eram muito bem amarrados, não?

Se fossemos tão lógicos assim, seria fácil prever o futuro. Para isso, nem precisaria de poderes paranormais ou espirituais.

Lógica é questão de ponto de vista.

Deus é.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Mantra

...

Quando se acabou com tudo
Espada e escudo
Forma e conteúdo
Já então agora dá para dar amor

Amor dará e receberá
Do ar, pulmão; da lágrima, sal
Amor dará e receberá
Da luz, visão do tempo espiral

Amor dará e receberá
Do braço, mão; da boca, vogal
Amor dará e receberá
Da morte o seu guia natal

...

precisa dizer mais ?

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Bossa Boa Nova

Boa é Bossa Nova.

Nova Bossa é Boa ?

Bossa Nova Boa ?!?!?!

Boa é Nova Bossa $@#^%%":&

Nova: Boa Bossa ...

... Bossa é Boa Nova !


Bossa e Paz.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Lua

Já que o assunto é Lua, estou postando a letra de uma das minhas músicas do cd "Bossa e Paz". Se Deus permitir, o cd estará pronto daqui a um mês e disponível no site.

É bem pequenininha, mas acho uma gracinha rsrsrsrs !!!!


" Quero poder ver a luz do sol brilhar
No céu de quem caminha na escuridão do ser

Inspirar poemas de amor em corações
Esperança e fé a cada novo dia

Refletir a luz do sol na escuridão
Luz de Deus é paz naquele que o clamar

Que sejamos luas cheias
Clareando noites frias
De quem anda a procurar a luz que vem de Deus

Refletir a luz do sol na escuridão
Luz de Deus é paz naquele que o clamar

Que sejamos luas cheias
Clareando noites frias de clamor "


Não haverá um dia em que até as pedras clamariam, pois, por sua própria natureza, elas louvam e nos mostram o que é a graça de Deus.

Eclipse

Eclipse (Pink Floyd)

"""""

Tudo que você toca
Tudo que você vê
Tudo que você prova
Tudo que você sente
Tudo que você ama
Tudo que você odeia
Tudo que você desconfia
Tudo que você salva
Tudo que você dá
Tudo que você negocia
Tudo que você compra
Mendiga, pega emprestado ou rouba
Tudo que você cria
Tudo que você destrói
Tudo que você faz
E tudo que você diz
Tudo que você come
Todos que conhece
Tudo que você vê passar rápido
Com todos que você briga
E tudo que é agora
E tudo que já passou
E tudo que virá
Tudo está alinhado debaixo do sol
Mas o sol esta coberto pela lua

Não existe um lado escuro na lua realmente
Pra todos os efeitos a lua é inteira escura

"""""

Eu amo a Lua.

Ela me fascina em todos os seus estados. Adoro quando ela ilumina o espelho dágua no mar e me traz grande sabedoria quando sabe o momento de se retirar do alcance de nossos olhos. Sua força move mares e fortalece plantações e nem por isso se disfarça de Sol.

A Lua, por sua própria natureza, louva a Deus e nos mostra o que é seguir seus passos.

Brilhamos quando recebemos a luz do Sol e a refletimos nas noites da existência fria de nosso mundo.

Realmente não existe um lado escuro em nossa existência. Somos escuros por inteiros. Somos iluminados quando nos permitimos refletir a luz que vem do Sol que aquece e nos reflete cores.

Não há dissimulação maior quando nossa arrogância nos joga à frente do Sol. Pensamos estar mais visiveis e mal nos damos conta de que nos tornamos invisiveis e desequilibrados com o meio, furtando cores e servindo apenas de atração circense celeste.

De nada vale todas nossas atitudes se elas nao estiverem sob o Sol da Justiça e do Amor.

Fuga da maldição de ser uma Eclipse enquanto há tempo !

I'll see you on the dark side of the moon !

domingo, 24 de janeiro de 2010

Ao nosso 2012 de cada dia ...

Ontem a noite bati meu carro em uma vaca na estrada. Tudo bem que bati de raspão na cabeça da coitada que arrebentou com o meu retrovisor e o vidro do motorista. Comigo tá tudo bem. Isso acontece.

Para muitos pode ser castigo divino, carma, retaliação do capiroto e tal. Mas para mim, simplesmente é uma batida e sou grato a Deus por ter me livrado de coisa pior. Não sou muito adepto a estes emails que rolam por aí dizendo que Deus afundou o Titanic, matou John Lennon entre outros. Tem quem faça muito pior e vive tanto quanto Matusalém e tem um peito de chumbo.

Muito se fala no Dia Final. Muitas neuroses acontecem por causa disto e muitas previsões miraculosas acontecem. Jesus mesmo não sabia o dia e nem se importava com isso.

"Não andeis ansiosos sobre o dia de amanhã ... basta cada dia o seu mal", disse Jesus.

O nosso dia final pode ser qualquer um. Não precisa de nenhuma data especial para isso, nem de um meteoro caindo em nossas cabeças.

Mexer com o imaginário popular gera muitos milhões em eventos, filmes, revistas, discípulos e muito papo furado para alimentar o assunto dos que chegam sempre como os missionarios das últimas novidades.

"o que voce faria se só te restasse esse dia ?"

Ovelha em pele de Lobo

Sempre ouvia falar da superioridade intelectual daqueles que liam sobre filosofia. Aquela imagem dos intelectuais citando autores como academicos em seus trabalhos monográficos e aquele ar blasé sempre me impressionou e me fazia sentir distante do nirvana do pensamento.

Certa vez eu pensei que fosse virar o jogo ! Isso aconteceu quando eu vi no jornaleiro alguns livros de autores famosos a 2 reais !!!! Entre eles tinham alguns livros do Darwin, Nietzsche, Adorno, Vitor Hugo os quais acabei comprando.

Não sou conhecedor de Nietzsche e nem de filosofia acadêmica. Minhas filosofanças são de boteco e minha compreensão limitada. Mas uma coisa que sempre me chamou a atenção em algumas leituras e conversas do dia a dia, é a aversão de muitas pessoas em relação à Deus.

O que Ele te fez ?

Muito pode-se dizer sobre as motivações dos ateus, seja pela natureza crítica de alguns, seja por raiva de suas próprias incapacidades pessoais ou simplesmente pelo fato de não acreditar-se em nada que seja palpável. Creio eu que nada disso impede que de seus corações saiam virtude. A propósito, tal virtude não é exclusividade de partes mas de um coração transformado.

São pessoas livres da necessidade de carregar fardos em nome de alguma recompensa celeste. São pessoas que em seu leito de morte clamariam a Deus, pois na verdade nunca foram ateus de Deus e sim das religiões que se dizem retentora dos direitos autorais de Deus e suas garras. Infelizmente este é o motivo pelo qual muitos perdem a oportunidade maravilhosa de uma intimidade transcendente com o Criador.

O pior ateu é o que se diz servo de Deus mas joga pro diabo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Sol

O Sol ilumina a todos e mantém a vida na Terra independente do que pensamos a seu respeito.

O seu calor abraça a todos independente de nossas diferentes impressões acerca dele.

há quem reclame do Sol arder as costas em um dia de trabalho,

há quem diga que o sol traumatiza as pessoas por fazer calor em nosso meio,

há quem reclame que o sol as vezes se esconde entre as nuvens,

há quem façam sacrificios a ele para garantir a primavera,

e há quem simplesmente descansa em paz na certeza de que nossas vontades e certezas em nada muda sua posição e presença no universo.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A folhinha de Eva

Oi pessoal!

A minha filosofança de hoje em nada tem a ver com a sexualidade de nossos irmãos primatas ou primitivos, como alguns de vocês devem ter pensado ...

Nesta minha pequena caminhada de vida, nunca vi nada tão complexo do que a simplicidade.

Como é complexa essa tal simplicidade !

"Quanto menor a casinha, mais sincero o bom dia" já dizia a música. Seria um paradoxo ?

A complexidade são os ciscos dos nossos olhos. "...Se teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso" disse Jesus. Não é a toa que Ele usou uma criança para exemplificar de quem é o reino dos céus.

Nicodemos não compreendeu o que é nascer de novo. Talvez esperasse um compêndio divino.

A tal folhinha foi a consequência da abertura (ou da deturpação) de nossos entendimentos, pois a partir daí todos nossos movimentos, antes instintuais, ganharam significados. A busca humana de querer ser igual a Deus, conhecedor do bem e do mal, nos criou um padrão de felicidade, onde a busca por ela torna-se uma fixação com um fim e si mesmo.

Fizemos-nos complexos.

Talvez fossemos felizes na ignorância do saber ... ou quem sabe a presunção de saber é que nos tornam ignorantes ?

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Palavra x Escritura

Palavras ...

Quantos significados e des-significados elas trazem para nós. Palavras podem ser cheias ou vazias, podem matar ou trazer à vida.

Quantas entrelinhas vem embutidas em uma simples palavra. Uma mesma frase pode causar reações diferentes nas pessoas, dependendo da forma em que é usada. Enfim, palavras carregam consigo muito mais do que simples palavras. Carregam consigo o cerne da questão.

Segundo as Escrituras, Jesus era o Verbo.

Se não fosse pela Palavra, não entenderíamos o que venha ser o amor de Deus, mesmo com as Escrituras em mãos. Enquanto muitos conseguem ouvir a Palavra sem ao menos conhecer as escrituras.

Como é a sua relação com as Escrituras ?

Se Jesus fosse escravo das Escrituras, certamente ele teria dado ordem a seus anjos no momento da tentação, segundo Mateus 4.

Em jogos de idéias, ninguém está disposto à compreensão, mas sim defender bandeiras com unhas e dentes, assim como é um jogo. É o jogo da lógica, do Xadrez de palavras, das verdades segundo autores, crenças e estudos que alimentam a vaidade de quem os conhece e domina.

Há verdades sobre tudo. Mas qual é a sua verdade ?

Examine o homem a si mesmo ...

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

O ponto G da questão ...

Há alguns dias atrás vi uma matéria no jornal a respeito do equívoco sobre o tal ponto G defendido por alguns entusiastas das novidades científicas. Particularmente sempre achei tais novidades sensacionalistas demais, pois até então nunca se precisou disso para uma vida saudável e intensa, mas este tema em especial mexe com o interesse das pessoas.

Coitadas da mulheres que passaram a viver suas vidas intensamentes após descobrir a existência de tal ponto. E agora, o que serão delas ? vão voltar a viver uma frigidez a dois ? Por outro lado não sei até aonde essa questao também pode ter abalado casais que procuraram, procuraram e não acharam o tal ponto ...

A questão é que sem amuletos é difícil dar um passo a frente com segurança. Como é difícil andar com as próprias pernas, porém necessário.

O ponto G está na mente, bem embaixo do lodo de nossos medos, de nossas neuroses e de nossos sentimentos de culpa, curtidos pelo cabresto da condenação moral e religiosa, que se arrastam mesmo quando estamos quites de tais obrigações.

Cuidemos melhor de nossos jardins !

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Fé e Fezes

O que é a fé ?

Como ela foi deturpada ao longo do tempo ...

Fé segundo os Evangelhos não é torcer, mas é a certeza de que fomos reconciliados com o Pai através de Jesus, e por consequência disso, viver em gratidão para com Ele, acreditando que esta palavra transforma a alma por mais paradoxal que pareça. É a total confiança de que nossas vidas são conduzidas por ele.

o resto ... é força da mente, pensamento positivo e magia.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Por um mundo melhor ...

Estava aqui no serviço almoçando a minha sardinha em lata, rica em ômega 3, quando lembrei desta frase que merecia um prêmio !!!! resolvi compartilhar com vocês.

" Todos pensam em deixar um planeta melhor para nossos filhos ...
Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta ? "

Um abraço e um bom domingo !!!

ps: tá servido um pouquinho ?

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Retardando ...

Pessoal, me desculpem se daqui pra frente eu reduzir as minhas filosofanças e minhas pensamerdas aqui neste blog.

Acabei de deixar redondo mais 11 músicas que vão compor o próximo CD. Agora é hora de escrever as letras. Para mim é a parte mais difícil, pois eu tenho muita dificuldade de me expor em palavras de forma coesa. Talvez porque eu em minha tenra idade fosse gago de não conseguir falar uma palavra sequer, por mero relaxamento mesmo ou ainda por falta do que dizer.

Não importa. Vou fazer o que caetano advertiu não fazer: "... encher de vãs palavras muitas páginas e de mais confusão as prateleiras ..." (Livro - Caetano Veloso).

E já que "... Vou escrever uma canção pois filosofar só é possível em alemão ..." (Língua - Caetano de novo), vou escrevendo minhas canções de coração aberto. É difícil fugir dos jargões mas o que digo é sincer.

um abração !!!!

Sweet dreams

Sweet dreams (Eurythmics)

" Doces sonhos são feitos disso
Quem sou eu para discordar
Viajei o mundo todo e os sete mares
Todos estão em busca de algo

Alguns querem usá-lo
Outros querem que você os use
Uns querem abusar de você
Outros querem ser abusados "


Pensei em escrever ao ler esta letra de música, pois achei muito interessante como ela reflete a questão do instinto humano. É tudo o que sonhamos como ser humano. Resumidamente, este é o alicerce de nosso sistema e sociedade. Sempre foi assim e sempre será.

Ter o mundo aos pés é o objetivo de muitas Cruzadas ... É a síndrome do pináculo do templo. É o que me faz crer que o homem não está condenado à liberdade (segundo Sartre) e sim ao controle.

Lembro-me certa vez ter ouvido alguém comentar acerca do perdão. Em um bom tom absolutista, dizia-se que o perdão é um sentimento que não faz sentido no processo evolutivo do ser humano. Particularmente acho tal idéia cartesiana demais, como se o ser humano fosse uma regra de 3 em um universo neperiano, mas concordo se levar em consideração que o individualismo é uma das nossas tendências naturais.

Aliás, que vantagem teria o homem natural a admitir sentimentos tais como o amor e o perdão por exemplo, que o expõe de forma frágil diante da vida ?

São as antíteses da vida. É quando a maçã cai pra cima. É a cura da alma com moeda própria ... É a liberdade do ser !

Sentimentos tais é dom de Deus. Isso é algo além do que o ser humano pode compreender e é revelado por Deus ao interior de nossas almas quando estamos dispostos a ouvi-lo.

Queremos ouvi-lo ?

A quem Deus deu este entendimento, pode-se considerar filho de Deus e órfão das prisões de nossos instintos.